Como tratar o bico de papagaio?

“Bico de papagaio” é o termo popular usado para a osteofitose. O crescimento irregular de estrutura óssea nas bordas articulares da coluna possui a aparência dessa parte do animal. E por isso surgiu este “apelido”. Infelizmente o quadro não é reversível. A principal opção é tratar o bico de papagaio de forma que a doença não progrida.

Como tratar o bico de papagaio

Ele pode surgir por diversos fatores e tem maior incidência em pessoas com mais de 45 anos.

Inclinação hereditária, má postura, peso e estilo de vida inativo são algumas das razões por trás do surgimento da osteofitose. Além disso, lesões na coluna vertebral e infecções reumáticas também podem estar relacionadas à presença de focinhos de papagaio.

A escolha mais ideal é prevenir a presença de osteofitose. Posteriormente, por meio de trabalho ativo e cuidados com a coluna, é possível amadurecer com menores chances de favorecer a infecção. Para tratar bico de papagaio, em casos graves, são sugeridos procedimentos médicos. Para simplificar, normalmente nessas circunstâncias o paciente tem mais de uma doença na coluna.

O desgaste da articulação vertebral está entre os elementos para a presença de osteofitose. Por causa do desenvolvimento ósseo imprevisível, as vértebras se esfregam umas nas outras e causam tormento. Assim, fortalecer a coluna está entre as estratégias para evitar essa irritação.

É importante tratar o focinho do papagaio de forma a proteger a condição e diminuir o agravamento dos pacientes. Com práticas que fortalecem a coluna, é possível diminuir o contato entre os ossos e, assim, aliviar a dor.

A osteofitose pode aparecer em vários locais da coluna vertebral. São cervicais, torácicas e lombares. Para um achado exato, é necessária uma reunião com um ortopedista. Então, nesse momento, após a avaliação clínica, a etapa seguinte é a procura por um fisioterapeuta.

Este especialista será responsável por decidir as atividades adequadas para tratar o nariz do papagaio no distrito onde o paciente o possui.

Fortalecer a coluna

O desgaste da articulação vertebral está entre os fatores para o surgimento da osteofitose. Devido o crescimento irregular do osso, as vértebras se encostam e causam dor. Então, o fortalecimento da coluna está entre os métodos para evitar esse incômodo.

É necessário tratar o bico de papagaio de maneira que conserve o quadro e diminua as dores dos pacientes. Com exercícios que fortalecem a coluna é possível diminuir o contato entre os ossos e com isso aliviar a dor.

A osteofitose pode surgir em diferentes pontos da coluna. Elas são cervical, torácica e lombar. Para um diagnóstico preciso, é necessária uma consulta ao ortopedista. Em seguida, após a avaliação médica, o próximo passo é procurar um fisioterapeuta.

Este profissional será responsável em determinar quais os exercícios corretos para tratar o bico de papagaio na região em que o paciente possui.

A fisioterapia para tratar bico de papagaio

As atividades reais certas adquirem resultados extraordinários no tratamento do focinho do papagaio. Espera-se que um tempo constante de treinamento, auxiliado por um fisioterapeuta, alcance uma melhora impressionante.

Concentra-se em mostrar que com a prática certa é possível trabalhar em praticamente 90% da condição. O intervalo de tempo para obter esses resultados é algo como 2 meses. A proposta dos fisioterapeutas é que quatro encontros sejam finalizados de forma consistente.

Através dos movimentos orientados pelos fisioterapeutas o paciente tem alívio da dor. Com isso é possível diminuir a quantidade de ingestão de remédios. O uso de analgésicos e anti-inflamatórios é outro meio recomendado pelos médicos para tratar o bico de papagaio.

Analgésicos e Anti-inflamatórios

Enquanto os exercícios físicos não apresentam resultados positivos, os pacientes podem recorrer a outros métodos para aliviar a dor. O contato entre os ossos pode trazer uma dor intensa. Além disso, o bico de papagaio pode até mesmo limitar o movimento das pessoas.

Os pacientes com osteofitose podem relatar dor forte localizada ou que irradia para outros membros. Isso acontece, por exemplo, quando o bico de papagaio está localizado na região lombar da coluna e a dor pode irradiar para as coxas.

Outro sintoma é a sensação de formigamento em membros próximos da coluna. Quando a osteofitose está localizada na região da cervical, são os braços que podem apresentar estes sintomas. Aliás, para aliviar esses incômodos e trazer uma melhor qualidade de vida aos pacientes, médicos ortopedistas receitam o uso de medicamentos.

Através de analgésicos é possível diminuir a dor enfrentada pelos pacientes. Além deste remédio, o anti-inflamatório também é um forte aliado para tratar o bico de papagaio e seus sintomas. O mercado farmacêutico possui diversas composições destes medicamentos e o ortopedista é responsável em receitar a melhor opção para o quadro de cada paciente.

Cirurgia para tratar o bico de papagaio

A osteofitose, ou bico de papagaio, pode surgir como consequência de outras doenças na coluna, por exemplo, a escoliose. Devido à má postura, que tem como origem a escoliose, o desgaste do disco intervertebral pode ser mais intenso e assim causar o surgimento do bico de papagaio. Estes casos podem ser mais graves e o tratamento recomendado é o cirúrgico.

Além da soma de doenças, outros motivos podem fazer com que o médico ortopedista recomende o tratamento cirúrgico. Como por exemplo, um dano neurológico súbito ou quando existem sinais evidentes de desalinhamento progressivo da coluna somado com dores intensas.

A cirurgia serve para reverter parte do desalinhamento da coluna. Então, habitualmente, para realizar a operação, os médicos precisam utilizar enxertos ósseos e até mesmo implantes no paciente.

É válido ressaltar que os quadros que necessitam de cirurgia são minorias. Apenas cerca de 5% dos pacientes apresentam um aspecto tão grave da doença. Desse modo, entre as orientações médicas está o esgotamento de tentativas de tratamentos clínicos, antes de realizar a cirurgia.

Os quadros graves podem trazer diversos problemas ao paciente. Além de uma possível perda de mobilidade dos membros, o bico de papagaio pode causar a síndrome da cauda equina. Além disso, esta síndrome é caracterizada pela perda repentina de sensibilidade e controle de partes do corpo.

Um exemplo é o controle esfincteriano que regula o grau de amplitude de um determinado orifício. Mas, caso a esfíncter do paciente seja atingida, o indivíduo pode ter a necessidade de utilizar fraldas.

Como evitar o bico de papagaio?

A melhor opção é evitar a necessidade de tratar o bico de papagaio. Através de cuidados é possível que o quadro não se desenvolva. Aliás, atenção redobrada nas atividades diárias pode ser o segredo para que a osteofitose não surja.

O ideal é evitar que pequenos traumas e aumento de carga na coluna vertebral aconteçam. Aliada à prática de exercícios é possível ter uma vida com melhor qualidade.

São recomendadas atividades que possuem baixo impacto na coluna. Assim, hidroginástica, bicicleta e alongamento são alguns exemplos de práticas que auxiliam no fortalecimento da coluna e por consequência evitam o surgimento do bico de papagaio.

A ação da gravidade faz com que a coluna sinta maior pressão nas vértebras. Essa situação é inevitável, mas através do fortalecimento da coluna é possível resistir, por um período maior, às ações do tempo. Então a prática de exercício é necessária na prevenção da osteofitose.

Referencial bibliográfico:

BEM ESTAR. Dor nas costas: saiba como evitar e tratar. Disponível em: <https://g1.globo.com/bemestar/noticia/dor-nas-costas-saiba-como-evitar-e-tratar.ghtml>. Acesso em: 10 de abril de 2021.

BIBLIOTECA VIRTUAL EM SAÚDE. Saúde da Coluna. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/dicas-em-saude/2116-saude-da-coluna>. Acesso em 5 de abril de 2021.

BLOG DA SAÚDE. Postura – Saiba como cuidar da saúde da coluna. Disponível em: <http://www.blog.saude.gov.br/index.php/promocao-da-saude/53256-postura-saiba-como-cuidar-da-saude-da-coluna>. Acesso em 8 de abril de 2021.

DEFINO, Helton L; PUDLES, Edson; ROCHA, Luiz E. M (Orgs.). Coluna Vertebral: Lesões Traumáticas. Porto Alegre: Artmed, 2020.

KNOPLICH, José. Viva bem com a coluna que você tem. São Paulo: Ibrasa, 29ª edição, 2002.

MUNDO EDUCAÇÃO. Coluna Vertebral. Disponível em: <https://mundoeducacao.uol.com.br/biologia/coluna.htm>. Acesso em 10 de abril de 2021.

SILVA, Isabela C. S; D’Ippolito, Giuseppe; Rocha, Antonio José da. Coluna Vertebral. Rio de Janeiro: Elsevier; 1ª edição, 2011.

Relevantes

Trabalhar com dropshipping para ganhar dinheiro vale a pena?

Se você está pensando em começar a trabalhar com o modelo de negócios de dropshipping,…

Saiba como ganhar dinheiro online com a Shopee

Recentemente, a plataforma de vendas shopee anunciou um programa inovador para gerar renda e como…

7 aplicativos para ganhar dinheiro assistindo a vídeos online

Se você está buscando uma maneira eficaz de ganhar dinheiro adicional na internet, existem aplicativos…

Ainda da para ganhar dinheiro com blog em 2023?

Bem-vindo a mais uma oportunidade de aprender como ganhar dinheiro online. Hoje, vamos mostrar-lhe uma…

Como ganhar dinheiro com marketing digital

Quer saber como você pode mudar de vida esse ano ainda? Então você está no…

Nós do site Coluna Saúde sempre recomendamos a busca por um especialista médico. Nosso intuito é apenas agregar informações.

© 2022 Coluna Tech – Todos os direitos reservados.